O seu bebê demanda muita atenção? Chora bastante, tem dificuldade para adormecer e exige constante colo e contato físico? Saiba que isso na maior parte das vezes é normal! Cada criança possui um temperamento único e em algumas fases (como nascimento dos dentes, saltos de desenvolvimento, etc) a demanda por cuidado pode aumentar. No entanto, em alguns casos específicos isso pode ser sinônimo de um bebê high need. Entenda o que isso significa e veja dicas para conseguir equilibrar uma rotina mais tranquila para toda família.

 

Características do bebê high need

Durante a gravidez você se prepara para a chegada do seu bebê. Arruma o quartinho com todo carinho e se pega suspirando enquanto guarda aquelas minúsculas roupinhas no armário. Também imagina como o seu pequeno será: se vai ter o seu nariz e os olhos do pai, se vai gostar de dormir no seu colo e se vai mamar bem.

São muitas expectativas, especialmente para os pais de primeira viagem. Então, quando o bebê nasce, as novidades vão surpreendendo a cada dia. As noites envolvem inúmeras mamadas e trocas de fralda, a amamentação não é tão simples quanto você sonhava, a rotina é mais cansativa do que poderia imaginar.

É normal ter esse choque de realidade da vida real com filhos, especialmente para a mulher no puerpério com seu mix de sentimentos e hormônios. No entanto, algumas vezes os pais podem sentir que a sobrecarga está mais pesada ainda. Isso porque o bebê demanda muita atenção e mesmo com o passar das semanas a situação não melhora.

Então, vale observar se:

  • Seu bebê chora muito, mesmo sem motivo aparente (sem sono, fome, com a fralda limpa, vestido de forma adequada para o clima, etc);
  • Exige constante colo e contato físico;
  • Tem dificuldade para adormecer, tanto para as sonecas quanto para o sono noturno;
  • É intenso, sensível e não se acalma com facilidade;
  • Mama muito e em menores intervalos;
  • Tal comportamento dura mais de 1 mês, não configurando nenhuma fase específica (como salto de desenvolvimento, nascimento dos dentinhos, ansiedade de separação, etc).

Tais sinais podem indicar um bebê high need, ou seja, de “alta necessidade”. A expressão surgiu com o pediatra norte-americano William Sears para definir crianças que exigem mais atenção dos pais.

No entanto, é preciso ter atenção: mesmo que seu filho tenha todas as características de um bebê high need ele não necessariamente se enquadra na classificação clínica. O motivo é que os mesmos sinais podem ser indicativos de outras situações, como refluxo, alergia alimentar, dor de ouvido, cólicas, etc.

A chave aqui é observar o bebê e junto com um profissional da saúde fazer o devido acompanhamento, para eliminar outras possíveis causas para o choro e a sensibilidade da criança.

Também deve-se equilibrar a expectativa do bebê idealizado. Afinal, os primeiros meses com uma criança em casa possuem uma “bela” dose de caos. A criança de fato vai chorar, vai querer colo, os pais não vão saber bem como acalmar, a amamentação pode ter desafios até estar estabilizada.

Então, até certo ponto é fácil confundir um bebê expressando as suas necessidades com um bebê high need, porque é uma questão de perspectiva. Aquela velha história da grama do vizinho é mais verde, sabe? O mesmo ocorre com filhos. O filho dos outros sempre parece mais tranquilo, que dorme mais e melhor, etc.

Como lidar com as necessidades do bebê

 

Independente do seu bebê ser high need ou não, uma coisa é fato: a rotina promove uma sensação de segurança extremamente positiva na vida da criança, desde os primeiros meses de vida. E ela vem acompanhada de uma série de hábitos que ajudam a tranquilizar a criança e podem ser importantes na hora de lidar com a demanda dos pequenos.

Pensando nisso, confira 5 dicas de ouro para lidar com as necessidades do seu bebê:

1 – Acompanhe os horários do seu bebê

Tenha um caderninho para anotar os horários de sonecas e mamadas. Isso vai ajudar a identificar um padrão de horários e comportamentos. Assim, você pode organizar a rotina do pequeno, para facilitar as atividades diárias.

No sono, tal ponto vai ajudar muito para a criança dormir sem choro e sem estresse. Isso porque com o tempo você vai começar a observar os sinais de sono, conseguindo colocar a criança para dormir antes dela ficar cansada demais, evitando assim o chamado “efeito vulcânico”.

2 – Conte com o sling para promover contato físico

O sling permite que você carregue o seu bebê com conforto e praticidade. Com ele você consegue manter a criança em contato com o seu corpo, mesmo enquanto faz outras atividades. É um produto que ganha destaque no enxoval a partir do momento que os pais experimentam, se tornando o queridinho de muitas famílias.

3 – Aposte na shantala para acalmar o seu bebê

A shantala pode ser uma poderosa estratégia para uma rotina mais tranquila. Trata-se de uma técnica de massagem que promove o contato físico e um momento de afeto entre os pais e o bebê.

Uma dica é inserir a shantala no ritual de sono da noite, após um banho morno e relaxante. Assim, a criança vai desacelerando para conseguir pegar no sono com mais tranquilidade. Na sequência da massagem vista o pijama do bebê e seu saco de dormir para colocar a criança no berço já sonolenta.

4 – Tenha o saco de dormir também como “objeto de transição”

A palavra-chave para muitas das demandas do bebê é segurança. E o olfato é um dos elementos que trabalha a sensação de conforto e familiaridade nas crianças desde o nascimento.

Pensando nisso, você pode contar com um saco de dormir para que a criança tenha o cheirinho da mamãe por perto na hora do descanso, sentindo-se assim mais tranquila. Para isso basta que a mãe durma duas ou três noites com o saco de dormir antes de usar no bebê. Ele ficará com o cheiro que a criança já conhece (e muito bem!).

Além de segurança emocional, tal prática contribui para um sono seguro, uma vez que não é recomendado que o bebê durma com lençol ou cobertor no berço para que isso não prejudique ou impossibilite a respiração.

5 – Não esqueça de cuidar de você

A última dica para lidar com as necessidades do bebê é não esquecer das suas próprias necessidades como pai ou mãe. A rotina com filhos pode levar os pais à exaustão e isso é prejudicial para a vida pessoal, profissional, o relacionamento do casal e o próprio vínculo com a criança.

Então, procure encontrar horários na rotina para cuidar de si: seja tomar um café sossegado ou com uma amiga, dar uma saída sem filhos para ir ao parque, restaurante ou mesmo ir fazer uma compra sozinha e respirar ar fresco. Não tenha receio de pedir ajuda: seja de familiares ou amigos que podem cuidar do bebê de vez em quando, seja procurando uma babá ou berçário.

Se seu bebê for high need mesmo você vai precisar ter muita paciência e muito amor para lidar com as altas demandas de forma constante na rotina. Busque estar cercada de pessoas positivas e que oferecem apoio e suporte. Preserve-se para conseguir manter o ritmo durante essa maratona e não tenha medo de chorar se for preciso. Com o passar do tempo isso vai melhorar, mas especialmente nos primeiros meses de vida o seu bebê precisa de você para se adaptar ao mundo. Pense que logo mais ele será uma criança mais tranquila, brincalhona e cheia de energia positiva!

Coragem,

Pauline

 

 

 

Site administrado no Brasil por pequenaweb.com

logo