Que as mães adoram o cheirinho do seu bebê a gente já sabe! Agora você já parou para pensar no que o sentido do olfato representa para o seu filho? Pois saiba que ele é muito importante e está relacionado com as emoções da criança, inclusive a sensação de aconchego e segurança. Para entender mais sobre isso, vamos voltar lá no útero da mãe, onde começa o desenvolvimento do olfato, ainda nas primeiras semanas da gestação.

1 – O desenvolvimento do olfato desde a barriga

O nariz do bebê começa a se formar pela 7ª semana de gravidez e a cavidade nasal dos fetos funciona já a partir da 9ª semana. Na 13ª, os nervos olfativos, que vão resultar no nariz, estão conectados ao cérebro.

O desenvolvimento do olfato do bebê

Ainda na barriga, a criança usa o nariz, tanto para treinar a respiração quanto para detectar cheiros, inclusive do líquido amniótico. Pesquisas apontam que o líquido absorve parte do gosto e do cheiro dos alimentos que a mãe ingere. O mesmo também ocorre com o leite materno, então é possível estabelecer uma familiaridade entre ambos os cheiros, o que vai ser percebido pelo bebê. Assim dá para entender porque o bebê vira a cabeça quando está no colo da mãe, “guiado” pelo cheiro do leite.

Observa-se que o olfato é processado no cérebro na mesma parte que controla a memória. Não é por menos que os odores podem se associar diretamente com memórias da infância e pesquisadores já provaram que as lembranças associadas com cheiros são mais intensas. O artigo publicado na revista científica “Current Biology”, em 2009, confirmou a hipótese de uma representação privilegiada do cérebro para as primeiras associações olfatórias.

Quando nasce, o recém-nascido é capaz de reconhecer a mãe apenas pelo seu cheiro e tal reconhecimento provoca a sensação de segurança. O conforto colabora na produção da ocitocina, o chamado “hormônio do amor”, que favorece a criação do vínculo afetivo e também colabora no sentimento de bem-estar.

2 – Segurança e objetos de transição

O sentimento de segurança é fundamental na rotina de uma criança. Ele vai fazer com que o bebê se sinta tranquilo no lugar que conhece. Já falamos sobre o ritual do sono, por exemplo. A consistência dele vai sinalizar para o bebê que é hora de dormir e deixá-lo seguro para uma boa noite de sono.

Da mesma forma, o olfato tem um papel importante na representação de segurança para o bebê, desde os primeiros meses de vida. É através do cheiro que ele vai identificar onde e com quem está.

O olfato tem um papel importante na representação de segurança para o bebê

Na hora de dormir isso muitas vezes é determinante, uma vez que a criança sente segurança perto da mãe. Assim, por mais confortável que esteja quando for colocada no berço, a falta do cheirinho da mamãe pode resultar em choro e relutância para pegar no sono.

Uma alternativa muito usada para dar a sensação de segurança para a criança, especialmente para dormir, é o objeto de transição. Pode ser uma naninha, um brinquedo de pano ou seu saco de dormir. Tal objeto familiar para o bebê vai proporcionar o conforto emocional que ele precisa para relaxar tranquilo, em grande parte pelo seu odor e toda a relação entre as memórias e o olfato que já comentamos.

Inclusive é por isso que as crianças não gostam quando as naninhas são lavadas, pois assim elas “perdem” o cheiro e, mesmo sem querer, tiramos o seu poder de segurança! Para os pequenos, não é um pano sujo, é um mundo seguro!

As crianças não gostam quando as naninhas são lavadas

Assim, tais objetos de transição vão representar a figura da mãe na mente da criança. Eles também são úteis quando por algum motivo o bebê não dorme em casa, como em situações de viagem ou passeio. Vão remeter a familiaridade necessária para a segurança e tranquilidade, ainda mais se a mãe não estiver junta.

3 – Saco de dormir como objeto de transição

Uma turbulette, nome francês dado ao saco de dormir, pode desempenhar a função de objeto de transição representando não só segurança emocional para o bebê, mas também segurança física. Isso porque cobertinhas ou paninhos, por exemplo, não são recomendados pelo risco de sufocamento.

O saco de dormir, pode desempenhar a função de objeto de transição

Agora uma dica de ouro para as mães que têm dificuldade para fazer os seus bebês dormirem, principalmente caso precisem se ausentar por algum motivo. Após lavar o saco de dormir, coloque ele por uma ou duas noites acima do seu travesseiro. Isso vai fazer com que o item fique com o cheirinho da mamãe. Depois, quando seu bebê usá-lo, ele vai dormir com o cheirinho mais gostoso do mundo… Levando ele para sonhos ainda mais encantadores!

Você viu como o olfato é importante para o seu filho? Ele ajuda na formação do vínculo entre pais e filhos, além de participar da construção de memórias. Lembranças daquelas que a gente sente um cheiro, fecha os olhos e consegue ver toda uma cena, como se fosse um filme. O cheiro de bolo, por exemplo, pode remeter para a cozinha da casa da avó, as tardes de sábado ou o chá em família. O perfume da mãe que lembra imediatamente dos abraços intermináveis e das sonecas no sofá.

Com certeza você também tem as suas memórias de infância ligadas ao olfato. Agora, é hora de construir as do seu filho, com muito amor!

Site administrado no Brasil por pequenaweb.com

logo