Na hora de preparar o quarto do bebê a expectativa é imensa! Os pais idealizam o ambiente e pensam em cada detalhe: o enfeite na porta, a cor da decoração, a roupa de cama do berço. Mas entre tantos preparativos, uma preocupação maior pode passar despercebida: o risco de alergias respiratórias.

 

Tosse, nariz entupido, coriza. Sintomas que acompanham os diagnósticos de alergias como asma e rinite. O tratamento, em muitos casos, vai necessitar acompanhamento médico e impactar muito a vida da pessoa, principalmente por ser incurável e pelo agravamento dos sintomas que pode ocorrer com o passar dos anos. Já a prevenção começa na organização da casa como um todo, pensando na qualidade do ar que a família respira.

As alergias

 

As alergias são mais comuns do que podemos imaginar. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) elas atingem 30% da população brasileira. A hereditariedade é um dos principais fatores de risco. Pesquisas apontam que se um dos pais é alérgico a criança possui um risco entre 30 e 50% de ser alérgica também. O número sobe para 60 – 80% se ambos os pais tiverem algum tipo de alergia.

Apesar das estatísticas ligadas com o fator hereditário, o ambiente é um ponto-chave na prevenção ou na maior exposição aos elementos que desencadeiam uma alergia, desde os primeiros meses de vida. Por isso a importância na hora de organizar o ambiente doméstico pensando na prevenção.

 

 

Isso mesmo! Vários detalhes no espaço familiar podem favorecer crises alérgicas. Então, confira alguns aspectos que merecem atenção na sua casa e também no quartinho dos pequenos.

 

Dicas para um ambiente saudável

Para prevenir crises alérgicas um dos pontos fundamentais é manter a limpeza da casa em dia. O pó é um grande vilão, bem como os ácaros, que encontram no ambiente quente, úmido e escuro (como estofados, tapetes e cortinas) o habitat perfeito para viver.

Confira algumas dicas gerais para a hora da faxina:

  •  Tirar o pó de superfícies regularmente, preferencialmente com um pano úmido. Manter o espaço arejado, abrindo as janelas todos os dias e garantindo uma ventilação adequada.
  •  Favorecer a entrada do sol direto.
  •  Passar o aspirador no piso, nos estofados e nas cortinas semanalmente.
  • Trocar os lençóis e lavar o saco de dormir a cada semana.
  • Se tiver ventilador ou ar-condicionado efetuar as manutenções necessárias com regularidade.
  • Arrumar o quarto para que livros e brinquedos não acumulam um pó excessivo.

Agora veja a seguir orientações para cada cantinho do quarto do seu bebê, pensando na prevenção de quadros alérgicos.

 

Quarto de bebê moderno

Piso

 

Carpete, o paraíso dos ácaros, pode ser um pesadelo para pessoas alérgicas! As melhores opções de piso são a cerâmica, porcelanato e laminados, que podem ser limpos com um pano úmido, de forma rápida e prática.

Se os pais acharem que um tapete é importante para o quarto não ficar muito frio, a preferência deve ser por modelos de materiais leves e sem pelos, como os tapetes de algodão. O item deve ser limpo semanalmente. Inclusive alguns modelos de aspiradores de pó possuem filtros específicos para reter ácaros e bactérias, ajudando assim a manter o ar do ambiente mais puro.

 

Paredes

Para decorar o espaço, pense na escolha do papel de parede. Verifique se o modelo pode ser limpo com um pano sem desgastar a cor. Se a preferência for por tinta, escolha uma tinta lavável. Outro detalhe é evitar texturas na parede, que dificultam a limpeza e podem favorecer o acúmulo de poeira.

Atenção para infiltrações e umidade, que favorecem o aparecimento de fungos. Caso um desses problemas apareça, tente solucionar o mais rápido possível e mantenha a criança dormindo em outro espaço enquanto o quarto não estiver adequado.

 

Cortinas

As cortinas deixam o espaço de dormir mais aconchegante e podem ser essenciais para um ambiente mais escuro, principalmente considerando o horário de verão e a hora de dormir dos pequenos.

Prefira tecidos leves e sem forro, para melhor manutenção. A sugestão é que elas sejam aspiradas uma vez por semana e lavadas na máquina pelo menos 1 vez a cada 2 meses. Se a família preferir a opção da persiana, os modelos de alumínio e madeira acumulam menos pó e são fáceis de limpar. Lembre-se que com criança em casa praticidade é a chave quando o assunto é limpeza.

 

Berço

Pensar na organização do berço para evitar alergias respiratórias é fundamental para garantir um ambiente de sono seguro e saudável para o seu filho.

A primeira dica aqui é evitar os protetores de berço. Além de representarem risco de sufocamento, os protetores são um item a mais para acúmulo de pó e ácaros, principalmente quando estofados ou de materiais sintéticos.

 

quarto com enxoval completo

 

Por falar em materiais sintéticos, a melhor escolha para qualquer roupa de cama do bebê é por peças feitas 100% de fibras naturais, como o algodão. Ele é um tecido mais “respirável” e delicado para a pele do bebê, sendo indicado na prevenção não só de alergias respiratórias, mas também na pele.

Sendo assim, leve isso em consideração na hora de escolher o lençol ou o saco de dormir dos pequenos. O algodão é a alternativa mais adequada comparando principalmente com modelos de plush ou material sintético que por terem “textura” acumulam ácaros na sua superfície, ao contrário do algodão. No blog temos um artigo com as melhores dicas para você escolher o saco de dormir do seu pequeno, inclusive levando em consideração a questão dos tecidos.

Vale lembrar que dentro do berço menos é mais! Vários itens que acompanham kits de roupa de cama de bebê são desnecessários e até perigosos, como cobertas e mantas. Além de aumentarem o risco de crises alérgicas, eles podem cobrir o rosto da criança, prejudicando a respiração. Inclusive temos um artigo bem completo sobre o que o seu bebê NÃO precisa na hora de dormir, você pode conferir aqui.

 

Colchão e travesseiro

Algumas capas impermeáveis de colchão podem servir como uma barreira de proteção contra os ácaros. Independente do uso delas, pelo menos uma vez por semana deixe o colchão do bebê em um espaço arejado e sem roupa de cama para ventilar.

Quando o assunto é travesseiro vale lembrar que eles não são aconselhados por especialistas até 3 anos de vida. Isso porque além de aumentarem o risco de morte súbita bloqueando a respiração sem que o bebê consiga se virar para sair de uma situação de risco, podem deixar a criança em uma posição que prejudica o seu desenvolvimento físico.

 

Decoração

A decoração do quarto do bebê é um dos temas que ocupa a mente de muitas grávidas já nas primeiras semanas após o positivo. E aqui é essencial pensar não só na questão estética, mas em como prevenir alergias para um ambiente de sono saudável.

Atenção para almofadas e bichinhos de pelúcia. Os itens precisam ser lavados regularmente para manter a qualidade do ar. Muitos nichos, prateleiras, cantos e elementos decorativos aumentam as superfícies e com isso a quantidade de poeira e ácaros!

Se a família optar por algum estofado no espaço, como uma poltrona de amamentação, a mesma deve seguir a rotina de higienização do quarto do bebê. O aspirador de pó pode ser um aliado, bem como um pano levemente úmido, dependendo o tecido da cadeira.

Como é possível perceber, o principal segredo para que o quarto do seu bebê seja um ambiente saudável e livre de fatores que podem aumentar o risco de alergias respiratórias está na limpeza periódica e também na escolha de detalhes, como tecidos e materiais. Afinal, reduzir as superfícies expostas e as texturas de pelúcia é a grande regra de um quarto com menos ácaros e poeiras, o que minimiza o risco de alergias. Pequenos ajustes que fazem muita diferença na qualidade do ar não só do espaço de dormir dos pequenos, mas da casa como um todo.

 

Com carinho,

Pauline