O sono representa 1/3 de nossa vida! Momento de abandono, onde nosso corpo fica relaxado e sem o controle do nosso consciente…. Adormecemos sem perceber, acordamos sem querer, ficamos surdos com os barulhos exterior! O fato é que o sono é essencial a vida e ao bem-estar! Para o bebê esse momento de abandono é mais importante ainda, é o momento que o corpo tem para acalmar e memorizar as aprendizagens do dia de tudo o que ele viu, escutou e sentiu! Essas horas são indispensáveis para a maturação do cérebro e para regular o seu humor e as suas emoções. Por isso os pais devem ajudar e ensinar o bebê a dormir para preservar o seu bem-estar e garantir a sua saúde.

Para nos ajudar a entender como funciona o sono dos bebês entrevistamos a consultora de sono Denise Gurgel!

 

Pauline: – Denise quando a gente procura entender sobre o sono dos pequenos, descobrimos que os ciclos dos adultos e dos bebês são muito diferentes! Você poderia nos explicar como é o ciclo do bebe?

Denise Gurgel: O ciclo de sono se refere ao tempo no qual o organismo, seja do bebê ou o adulto, faz a passagem do sono leve para o profundo. No caso dos adultos cada ciclo dura em torno de 90 minutos e dos bebês de 50 a 60 minutos. Por volta dos 9 meses os ciclos dos bebês se prolongam como o dos adultos, aumentando a sua capacidade de dormir por mais tempo sem despertar.

Cada ciclo de sono, seja do bebê ou do adulto, se divide em duas fases: sono NREM (Non-rapid eye movement ou movimento não-rápido dos olhos) e sono REM (Rapid Eye Movement ou movimento rápido dos olhos).

O sono NREM é dividido em quatro estágios e nos bebês é bem visível através das suas reações corporais.

  • Estágio 1
    Dura em torno de 5 a 10minutos. Esse é o momento que o bebê abre e fecha os olhos, a respiração fica mais suave e o corpinho fica relaxado.
  • Estágio 2
    Entre 10 e 20 minutos do ciclo o corpinho fica mais relaxado, a respiração é mais tranquila e o bebê reage menos a estímulos externos, por exemplo, não acorda se a porta bater.
  • Estágio 3 e 4
    Os estágios 3 e 4 podem acontecer separados ou juntos, sendo mais frequente juntos. Tudo dependerá do relaxamento do corpo. Correspondem de 20 a 30 minutos do sono. Nesse estágio o sono é bem profundo. O bebê realmente começa a descansar e restaurar as energias físicas e emocionais. Grande parte dos hormônios necessários para seu crescimento é liberada nessa fase.

Sono REM corresponde ao restante do ciclo iniciando por volta de 40 minutos. Essa fase é a mais importante do sono, a mais curta e tem uma dualidade. Apesar de o bebê estar completamente relaxado com o corpinho bem mole, é nessa fase que a atividade cerebral está a mil por hora (fase dos sonhos) e o bebê pode acordar. Os movimentos dos olhos estão bem rápidos, é uma forma de percebermos os sinais dessa fase.
As informações importantes que os bebês recebem durante o dia são gravadas no cérebro nessa fase. Fase indispensável para o estabelecimento da memória!
Concluímos que uma soneca perfeita do bebê deve durar no mínimo de 50 a 60minutos. Menos do que isso, não há restauro de energias e liberações hormonais importantes para o crescimento e desenvolvimento da memória do bebê. Ao contrário, quando o bebê faz uma soneca de 2hs, ele “engatou” um ciclo de sono no outro de forma cíclica.

bebê dormindo no berço

 

Pauline: – É importante o bebê acessar as últimas fases do sono para o seu bem-estar psicológico e emocional então! Você também falou que tinha liberação de hormônios durante o sono, você poderia nos falar quais são?

Denise Gurgel: A longo prazo não dormir direito pode comprometer seriamente a saúde, seja a do bebê ou do adulto. Isso porque durante o sono são produzidos alguns hormônios vitais para o funcionamento do nosso organismo. Veja quais são:

  • Melatonina
    Esse é o hormônio produzido pela glândula pineal que regula o nosso sono. Quando os bebês nascem essa glândula é imatura e produz a melatonina de forma irregular. Por isso, o pequeno pode inverter trocando a noite pelo dia acontecendo aquele caos em casa com o bebê acordado madrugada adentro.
    Por isso a importância de ajudar o bebê, principalmente o recém-nascido no amadurecimento do ciclo circadiano (o ciclo que ajuda o organismo a entender quando é dia e a noite). Para isso, o ideal é que o bebê faça sonecas durante o dia com os barulhos normais da casa e no ambiente com cortinas abertas. Assim o organismo dele vai processando a informação de que ainda é dia. Em contrapartida, o sono da noite deve ser sem ruídos, mais silencioso e com total ausência de luz. É interessante até mesmo que as janelas sejam fechadas com cortina blackout para vedar completamente qualquer entrada de luz, principalmente ao amanhecer.
    Nada de deixar abajur ligado a noite para espiar o bebê! Só o fato dessa luz estar acesa a liberação do hormônio pode cair.
    O leite materno, principalmente á noite contém grandes concentrações de melatonina. Então, mamar a noite ajuda no soninho do bebê!
  • Hormônio do crescimento, o famoso GH
    O ditado popular que os bebês crescem quando dormem é verdadeiro! Cerca de 90% do hormônio do crescimento é liberado durante o sono e liberado nas fases 3 e 4 do sono NREM. Crianças que dormem pouco e tem o sono picadinho, podem ter problemas no desenvolvimento físico.
  • TSH
    O TSH é liberado pela hipófise e fabrica o T3 e o T4, hormônios da tireoide. Esse hormônio é produzido no início do sono e os pequenos que tem dificuldade em adormecer podem ter alterações na liberação do TSH com consequente repercussão na função tireoidiana.
    Ele estimula o metabolismo de nossas células em todo nosso corpo, produzindo proteínas. Essas proteínas nos protegem de câimbras, regula a nossa massa óssea, o crescimento saudável dos cabelos e unhas.
  • Leptina e Grelina
    Os hormônios também são responsáveis pela saciedade (leptina) e fome (grelina).
    A produção da leptina se dá durante a noite (fases 3 e 4 do sono profundo) e principalmente no começo da manhã. A sua função é controlar o apetite e aumentar o gasto energético.
    Se a criança não dorme direito, não libera leptina. Como consequência aumenta a fome pela liberação de grelina. Portanto, dormir ajuda a controlar o peso e obesidade infantil.
  • Insulina e Cortisol
    A falta de sono inibe a produção da insulina (hormônio ligado ao diabetes) e aumenta a liberação de cortisol que age aumentando a taxa de glicose.
    Normalmente, o cortisol tem seu pico de liberação de manhã. Quando não dormimos bem a noite, o seu ritmo é alterado e podendo gerar efeitos semelhantes ao estresse (ansiedade, atividade excessiva).
    Pouca insulina e muito cortisol podem favorecer quadros de obesidade e diabetes.

Bebê dormindo no berço

 

Pauline: – Na França se fala que as crianças podem aprender a emendar um ciclo de sono no outro sozinhos. Dessa forma as crianças poderiam dormir à noite inteira, sem acordar, mais rapidamente! É uma aprendizagem? Podemos ensinar aos nossos filhos a não despertar entre os ciclos? Como?

Denise Gurgel: Adormecer sozinho e emendar um ciclo de sono no outro é um aprendizado. Além de favorecermos o sono da noite deixando o ambiente mais escuro como vimos anteriormente, podemos aos poucos e de forma processual educarmos o sono do bebê.

No início da vida do bebê é quase impossível o bebê não adormecer no peito após a mamada ou no colo sendo ninado. O bebê, principalmente nesse começo da vida precisa desse aconchego e apoio, pois estar fora da barriga da mãe é lidar com muitas sensações novas (cheiros, sons, toque).

Dormir no colo é uma associação de sono positiva. Porém, aos poucos podemos oferecer outros recursos para o bebê adormecer.

É muito comum o bebê não saber voltar a dormir sozinho quando acorda entre os ciclos de sono. Quando o bebê é colocado para dormir no colo, mamando ou ainda na cama dos pais e depois é transferido já dormindo para o seu berço, ao despertar entre um ciclo e outro do sono, ele buscará a mesma situação que tinha no momento que adormeceu. Por exemplo, quando o bebê acorda no berço sozinho depois de ter como última lembrança o colinho, ele provavelmente pensará: “Como vim parar aqui? Ou cadê o peito? Cadê minha mamãe? ” ele vai chamar a mamãe chorando. Isso não quer dizer que é ruim colocar o bebê no berço depois de um colinho, uma mamada, ou um ninar, mas o bebê precisa adormecer sabendo onde está.

O ideal é colocarmos o bebê no berço sonolento. Não é fácil no começo, mas é importante para que o bebê ao acordar entre um ciclo de sono e outro perceba que continua no mesmo lugar, e se sentindo seguro, possa voltar a adormecer sozinho.

Outra questão importante é que os bebês podem resmungar, choramingar após um ciclo de sono quando retornam para o sono leve. Em geral é onde os pais criam algumas associações negativas para ajudar os bebês a voltarem a dormir: amamentando, ninando, levando-os para a sua cama entre outros. Esse despertar que pode ser parcial passa a ser um despertar real. Na tentativa, muitas vezes “ansiosa”, dos pais fazerem os bebês voltarem a dormir, eles terminam acordando definitivamente o bebê, que na realidade não estava “acordado” e sim “parcialmente acordado”, mas precisava de um “empurrãozinho” (um afago com o bebê deitado no berço) para voltar a dormir. Por isso os pais precisam observar o seu bebê antes de agir. Ele pode conseguir dormir sozinho novamente.
Todos nós acordamos várias vezes a noite por períodos pequenos de tempo. Como adultos que somos e experientes com o sono, nós sabemos voltar a dormir e não lembramos que acordamos de noite. Se os bebês não desenvolverem essa habilidade eles acordarão de noite mesmo se não estiverem com fome. É importante deixa-lo treinar essa nova habilidade!

Bebê chupando deda

 

Pauline: – Agora nós sabemos quais são os momentos estratégicos para ajudar nosso bebê nessa aprendizagem: Quando ele acordar entre dois ciclos e não conseguir voltar a dormir sozinho! A internet está cheia de método para ensinar o bebê a dormir, quais são as vantagens e desvantagens dos três principais métodos? Todos os métodos funcionam? A mãe pode escolher o método que ela quiser, ou tem alguns melhores mesmo?

Denise Gurgel : A escolha do método é sempre uma decisão da família e está baseada na forma como desejam maternar e paternar o seu filho, nas suas crenças, cultura (sendo variável de um país para outro) além do temperamento do bebê.

  • Método do carinho de Elizabeth Pantley

Esse método pode demorar mais tempo para ser consolidado e é uma adaptação gradual do bebê.
Após acordar, o bebê mamará e poderá ser embalado. Quando o bebê acabar de mamar, retire o mamilo da boca do pequeno. Pode ser que o bebê procure o mamilo novamente. Ele poderá mamar novamente, mas pela metodologia o mamilo deverá ser retirado quantas vezes for necessária para que o bebê perceba que não adormecerá mais mamando.
Se o bebê dorme sendo embalado, o movimento deverá ser diminuído gradualmente.
O bebê deverá ser colocado no berço sonolento. Se ele chorar a mãe ou o pai poderá pegá-lo no colo sempre que achar necessário. Essa ação poderá acontecer repetidas vezes até que o bebê adormeça.
Prós: É um método suave e transicional. Os pais insistirão de forma tranquila sem pressionar demais o bebê, tudo de forma gradual.
Contra: pode demorar meses para que o bebê entenda que o berço é um lugar gostoso para dormir e não o colinho ou o peito.

  • Método do choro controlado do Dr Ferber

O bebê deverá ser colocado no berço sonolento e acordado. A mãe ou pai deverá sair do quarto. Se ele chorar, esperar 3 minutos. No final do tempo entre no quarto, fale com o bebê e saia novamente. A cada 2 ou 3 minutos de choro, a mãe ou pai confortará por um minutinho, poderá fazer um carinho e deverá sair. Essa ação deverá ser realizada até o bebê dormir.
Prós: Esse método poderá ser estressante nos primeiros dias, mas poderá funcionar mais rápido.
Contra: Pode ser estressante para o bebê ficar sozinho e pode demorar horas para o bebê adormecer. Chamamos dentro da psicologia esse método de desamparo aprendido. O bebê aprender a dormir porque entende que não será atendido, e não porque dormir é gostoso.
Em particular, como consultora do sono não utilizo esse método. Acredito que aprender a dormir deve ser agradável para o bebê e com uma boa rotina e adequações da forma de adormecimento o bebê pode aprender a dormir de forma menos estressante.

  • Pick Up Put Down, Tracy Hoggs

Durante o dia poderá ser seguida a rotina EASY (eat, play, sleep, you = mamar, brincar, dormir e tempo para mãe). O bebê não mamará mais imediatamente antes de dormir, inclusive durante o dia, mas logo depois. Primeiro ele mamará, depois brincará e dormirá sempre nesse ritmo.
Na hora de dormir a mãe poderá embalar segurar, balançar e o colocará no berço sonolento. Se o bebê chorar ele poderá ser pego no colo e no minuto que ele parar de chorar deverá ser colocado no berço. A ideia desse método é acolher o choro com o colo e mostrar para o bebê que o lugar de dormir é o berço e não o colo ou o peito.
Essa ação Pick Up/ Put Down deverá ser seguida até o bebê dormir no berço.
Prós: A mãe ou pai poderá sentir-se melhor de poder pegar o bebê no colo para acalma-lo toda vez que ele chorar.
Contra: Alguns bebês se sentem mais estressadas de serem pegos, depois colocados de volta no berço. Não funciona para todos os bebês. Vai demandar extrema paciência dos pais.
Eu como consultora de sono gosto de fazer um mix entre o método do carinho e o Pick Up/ Put Down. Acho importante essa maleabilidade porque cada bebê é único e não é um modelo pronto para responder 100% a um método. O interessante é pegar os aspectos positivos de cada método e aplicar, afinal o que pode funcionar para uma família, pode não funcionar para outra.

Pauline: – Muito obrigada Denise, e espero que tenha sido esclarecedor para os leitores!

Se quiser compartilhar a sua experiência ou se tiver mais perguntas pode deixar um comentário abaixo!