Como é o quarto ideal para um bebê? Dicas da arquiteta Thais Silva.

Montar o quarto do bebê é, com certeza, um dos momentos mais esperados da gestação. Mais importante para os pais do que para o bebê em si, esse ambiente da casa é sempre preparado com muito carinho e repleto de decorações fofas, mas quais são os pontos importantes a se levar em conta? O que é realmente necessário? Antes de falar sobre tendências em decoração de quarto de bebês, devemos nos preocupar com a segurança daquele espaço e de todos os itens nele presentes.

 

1 – O berço

O berço é a estrela do espaço e há uma infinidade de modelos – dos com design provençal aos moderninhos com superfícies em acrílico, berços evolutivos (que acompanham o crescimento do bebê e tem variações de tamanho – mini, berço, cama), com rodinhas para movimentar pela casa, etc. São tantas opções que é fácil se perder, mas a questão mais importante a se levar em conta na escolha daquele que será o espaço em que seu filho passará a maior parte do tempo é: segurança!

– Procure sempre por um móvel com certificação INMETRO – este selo vai garantir que seu berço passou por testes de segurança com relação à estabilidade, medidas e materiais utilizados em sua fabricação. O colchão deve ser de espuma e ter densidade apropriada: D18, firme o suficiente para proporcionar conforto à coluna do bebê do nascimento até os 3 anos de idade, e ter o tamanho exato do berço (não podem sobrar espaços entre o berço e o colchão).

– Outro item relacionado ao berço e um dos mais populares do enxoval é o kit berço – composto, normalmente, por edredom e almofadas que enfeitam e “protegem” o bebê de possíveis colisões com as laterais ou, ainda, de colocar braços e pernas pelos espaços das grades. Porém, a Associação Brasileira de Pediatria e a Sociedade Americana de Pediatria não recomendam seu uso. Isso porque o risco de sufocamento do bebê em uma destas almofadas ou com cobertores é muito alto (este também é o motivo de se contraindicar o uso de travesseiros, pelúcias, mantas e quaisquer outros itens que fiquem soltos no berço). Bebês se mexem muito durante o sono e podem acabar puxando cobertores sobre o rosto ou rolar e ficar muito próximos às almofadas laterais e não conseguir voltar à uma posição segura – que é a de barriga para cima.

Então lembre-se, você até pode enfeitar o berço do bebê quando ele não estiver lá dentro, mas o berço seguro para seu filho dormir é aquele com apenas o lençol de elástico para proteger o colchão (que fique bem preso).

Mas, se não podemos usar cobertores ou mantas, como proteger o bebê do frio? Com sacos de dormir! Eles garantem que seu bebê fique coberto durante a noite mesmo se movimentando, já que são peças de vestir, e são seguros porque eliminam o risco de asfixia do bebê por garantir que nada ficará solto no berço. Conheça os sacos de dormir da Joli Mome, que além de muito fofos, estão disponíveis em diferentes TOGs (unidade de medida que quantifica a resistência térmica, há um TOG indicado para cada temperatura do ambiente em que o bebê dorme).

Bebê com saco de dormir - Berço seguro
Acima um berço seguro: um colchão firme adaptado ao berço, um saco de dormir para vestir a criança e só!

2 – A cômoda

Outro item indispensável é a cômoda. Além de funcionar bem para a estação de troca de fraldas do bebê – por ter uma altura ergonômica aos pais – as gavetas são mais práticas para armazenar as roupinhas e itens do bebê (que são muito pequenas para serem armazenadas em pilhas nas prateleiras). Um cuidado importante com a cômoda é sua fixação à parede quando a criança começa a engatinhar, já que ela pode usar as gavetas como degraus e tentar escalar a cômoda. O tombamento também é possível com a abertura de todas as gavetas ao mesmo tempo ou à má distribuição de peso dentro delas.

3 – A poltrona de amamentação

Já a poltrona de amamentação divide opiniões: muito usada por algumas mamães e tida como dispensável por outras, ela pode ser grande aliada na amamentação. Aqui a dica é sempre testar a poltrona antes de comprá-la e lembre-se: você não precisa comprar uma poltrona específica para amamentar! Procure itens com um design diferenciado, ainda confortáveis para o seu principal uso que é amamentar, mas que você possa usar em outros ambientes da casa quando esta fase passar. Atente-se à altura do encosto e dos apoios de braços, bem como ao espaço entre estes últimos, eles devem ser adequados à sua estatura e facilitar o apoio do bebê no colo da mãe, com ou sem o uso da almofada de amamentação. Modelos com balanço são ótimos para ajudar a acalmar o bebê e eu ainda listaria uma mesa lateral para a mamãe ter um local para a garrafa de água, celular e outros itens de apoio na hora de amamentar.

4 – A iluminação

Outro cuidado especial deve ser com a iluminação do ambiente: nem pouca nem muita luz! Prefira sempre lâmpadas com temperatura de cor entre 2700k e 3000k (as famosas luzes amarelas). Elas se aproximam da cor da iluminação natural do sol e, portanto, são mais confortáveis aos olhos. Ter uma luminária de piso, arandela, abajur ou algum detalhe em fita LED que faça uma iluminação indireta bem fraquinha pode ser sua aliada durante as mamadas e trocas de fralda noturnas – também há a opção de lâmpada com luz vermelha: essa é a que menos interfere no sono do bebê!

5 – Quando ?

E, afinal, quando devo começar a montar o quarto do meu bebê? O segundo trimestre seria o período ideal, já que o mal-estar do início da gestação já passou e o cansaço do final ainda não chegou. Também, a maior parte dos papais já sabem o sexo do bebê à essa altura e a escolha de temas ou referências fica mais fácil. Importante lembrar que cheiros fortes de tintas ou colas (papel de parede) podem fazer mal ao bebê, então quanto antes esses serviços forem feitos, melhor!  Ah, lembre-se que algumas empresas não trabalham com estoque de móveis, então o prazo de entrega de itens soltos e até mesmo de marcenaria planejada devem ser levados em consideração.

6 – Tendencias!

Agora, vamos às tendencias em decoração de quartos infantis propriamente ditas! Estas tendências seguem as gerais de decoração de interiores e eu listaria como as principais: pintura de parede, biofilia e o minimalismo.

A pintura de parede oportuniza que os pais coloquem a mão na massa e criem divertidos e diferentes desenhos nas paredes do quarto do bebê. Arcos, listras, círculos e flores são exemplos fáceis de serem reproduzidos e que deixam o ambiente charmoso e cheio de personalidade.

A biofilia nada mais é que incorporar cores, formas e elementos da natureza nos espaços construídos. Ela estimula o aprendizado e a criatividade, além de favorecer o bem estar. Inserir plantas, tons e itens que remetam à natureza pode deixar o ambiente lúdico e agradável sem você nem perceber o porquê!

Por último mas não menos importante, o minimalismo segue já a algum tempo como tendência na arquitetura. Aqui, diferente da imagem de minimalismo que vem à nossa cabeça quando pensamos nele – um ambiente todo branco e moderno – a ideia é que se utilizem poucos mas bem pensados móveis e decorações no quartinho, a fim de que ele seja funcional – tudo que não precisamos nesse início de maternidade é ficar esbarrando em móveis com um bebê no colo, não é?

No final, um quarto de bebê não precisa muito para ser especial, apenas ser planejado com muito carinho e repleto de amor quando habitado pelos pais e o bebê!

Com carinho,

Thais Silva

0 Comentários

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *